João Alves

Engenheiro de Masterização

João Alves é o engenheiro de masterização e dono do Sweet Mastering Studio. Tem uma licenciatura em Ciência e Tecnologia do Som e encontra-se a finalizar o Mestrado em Produção e Tecnologias do Som.
Em 2011, fruto da paixão pelo processo de masterização, funda o Sweet Mastering Studio. Desde aí, por aqui passaram inúmeras bandas e artistas tais como a Lisbon Film Orchestra, Rumos Ensemble, Camerata de Sopros Silva Dionísio, etc.

Uma cultura musical vasta, aliada aos seus conhecimentos e técnicas da engenharia de áudio vão certamente tornar os registos musicais que masteriza coerentes e equilibrados e providenciar noções refinadas de detalhe, profundidade, impacto e claridade nos mais diversos sistemas de som que os mesmos iram enfrentar. Aliando a criação à engenharia, consegue atingir resultados únicos e exclusivos para a música de qualquer artista com quem possa colaborar.

“A Masterização assume um papel de relevância nos dias que correm maior do que nunca. Existem tantos meios de comunicarmos uns com os outros, tantos suportes diferentes e são tão distintas as forma de ouvir, consumir e reproduzir musica gravada que a masterização hoje assume um papel de importância estética num processo que é híbrido, quanto à criação e quanto à técnica. Já lá vão os dias em que a Masterização era um processo puramente técnico na qual se pretendia apenas transferir a gravação de um meio para o outro, sem erros. É uma mistura de pensamento e acção criativa com engenharia que resulta na forma como percecionamos e nos relacionamos com um determinado som e no fundo, o que pode ser feito para o potencializar.
Para mim, o mais importante não é os equipamentos nem as ferramentas ou sistema de som que poderei ter no estúdio, mas sim as pessoas com quem eu possa colaborar. Nós somos Humanos, precisamos de sentir, comunicar e sentirmo-nos inspirados, todos os dias! A música funciona da mesma forma e é por isso que o Sweet é tão único e nos diferencia dos tantos outros estúdios de masterização que existem no Mundo.” – João Alves